//
a ler...
Informática

security essencials – redes sociais

redes-sociaisA facilidade e a velocidade com que partilhamos alguns factos da nossa vida pessoal, por vezes, é assustadora. Efectivamente, raramente paramos para pensar se o que estamos a partilhar nos expõe demasiado aos ‘novos espiões’ – não aqueles que vemos nos filmes, falo antes daquele amante suspeito, ou o colega de trabalho obsessivo, ou até aquele ‘amigo’ ciumento. Por vezes, somos vítimas de armadilhas que pensávamos não ser possível.

É, pois, importante saber que dispomos de mecanismos de protecção!

Gerir a informação

Todas as redes sociais têm uma política de privacidade, e que, do ponto de vista do utilizador, não há volta a dar: ou se aceita, ou não se faz parte daquela rede social da moda, que os colegas lá da escola frequentam. Por outro lado, existem definições que podem ser configuradas, e essas são as ‘armas’ dos utilizadores.

É, então, de extrema importância que se perca algum tempo a fazer tais configurações, sob pena de qualquer dia se poder vir a ter uma desagradável surpresa. Estudos revelam que 90% da informação acerca de uma pessoa se pode obter através de pesquisas online, com especial ênfase para as publicações nas redes sociais.

Claro que a melhor opção é, sem dúvida, deixar de publicar, mas, calma: esta é uma decisão demasiado drástica. Podem continuar a publicar, mas com alguns cuidados. O Facebook ou o Google+, por exemplo, permitem personalizar com quem se partilha as publicações, escolhendo pessoas, determinados grupos (FB), ou círculos (G+). Outra boa prática quando se publica para ‘toda a gente’ ou para grupos maiores, é limitar o que se publica. Ficar-se por coisas mais impessoais, como um link para um artigo interessante, produtos de que se goste, ou vídeos engraçados.

Às vezes, quando referimos a nossa localização, estamos a expor-nos a um risco que nem calculamos, dado que ‘toda a gente’ fica a saber exactamente onde estamos. Imaginem que vão de férias. Ao referirem a vossa localização actual, tornam a vossa habitação primária num alvo mais apetecível para futuros assaltos. Lembrem-se de uma coisa: nunca sabemos quem está a ver o que publicamos.

Outro erro, também muito cometido, é o de aceitar pedidos de amizade de pessoas que desconhecemos, mas que, por serem amigos de amigos nossos, lá os aceitamos. Todo o procedimento está errado. Imaginem, então, que esse vosso amigo (de quem essa pessoa se diz amiga) adicionou também esse amigo, que vos está a pedir amizade, da mesma forma que vocês o estão a adicionar. E assim se cai num ciclo vicioso da adição de ‘amigos’ desconhecidos. Para evitar situações desagradáveis, joguem pelo seguro, adicionem apenas pessoas que conhecem, e nunca amigos de amigos que nunca viram.

Se ficou desperto para esta temática e gostaria de saber mais pode visitar:
http://cartilha.cert.br/privacidade/#11.1
http://engenhariacotidiana.com/14-dicas-para-nao-prejudicar-sua-carreira-nas-redes-sociais/
http://goo.gl/tko3sP.

Em breve mais dicas…

Anúncios

Discussão

Ainda sem comentários.

Na minha opinião...

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: